quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Questionário Escalada


"Sou Leonardo de Recife-PE, escalador, psicologo e interessado em pesquisa.
Este questionario pretende obter dados com vistas a se estabelecer um
perfil mais completo do escalador brasileiro. Naturalmente aqui estarão
variaveis do campo da psicologia do esporte, area do meu interesse, como
também outras referentes ao universo da escalada. Além de dados
demográficos, o questionário abordará histórico na prática da escalada,
hábito alimentar, gostos, motivações, emoções, autocontrole, risco,
segurança e equipamentos, dentre outras.

Sera interessante se puder responder a todas as questoes, mas naturalmente
voce podera pular as perguntas que quiser. Tambem sera importante informar
um e-mail valido. Os resultados serao apresentados em conjunto, sem
identificação pessoal, e postados em listas, blogs, sites ou ate enviados
por e-mail para os interessados. Eventualmente, serao publicados em
revistas cientificas.

Obrigado pela disposicao e boas escaladas!"

Para acessar o qustionário clique aqui:

http://spreadsheets.google.com/viewform?formkey=dGNpLWY2N0s2cnhKMU5UOU8yekJMVlE6MA

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Foto - Cume da Pedra da Bicuda pela via Escalada ou Morte


Wogrand(PB), Dago(SC/PE) e Lula(PB) no cume da Bicuda após concluírem a via Escalada ou Morte neste domingo.
Foto por Leo ou Clóvis (hehehe) do cume da via Rei das Coxinhas.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Concluída a primeira via da Serra do Prata!

Neste sábado eu e o Dago conquistamos o trecho final da via DAU E AS CASCAVÉIS,
na outra investida achavamos que teríamos que fazer um desvio de um pequeno trecho vertical que vinha pela frente, mas ao chegar na base do vertical, Dago viu que tinha agarras, bateu a parada dupla, eu subi, também achei que seria possível, ele tocou reto no lance que ficou um 7a beem técnico, três grampos nesse lance, que ficou bem protegido, um no trecho seguinte (positivo) e a parada (P8). Daí pra cima são 100m de trilha no capim, até chegar no cume, onde há várias torres, um mirante e uma estrada até o chão!

em amarelo o traçado da via, em vermelho onde achávamos que seria o traçado

croqui

Em breve posto as fotos.

Escalada ou Morte - Nova via na Bicuda

Neste domingo, após 3 fins de semana de trabalho foi concluída a via Escalada ou Morte!
Na primeira investida Luciano, Lula e Wogrand abriram as duas primeiras enfiadas, totalizando 60m e deram de cara com uma parede vertical. Na investida seguinte, Lula e Wogrand conquistaram mais 10m no vertical e deram de cara com um negativinho de agarras horríveis! Nesse sábado eles entraram novamente na via, passaram em artificial alternando buracos de cliff e grampos de 1/2 o trecho negativo e fixaram a P3. No domingo Dago se juntou aos dois pra concluírem a via, depois do negativo a rota tende a se encontrar com a via Primeiro Dia do Resto de Nossas Vidas, mas o dago tocou por baixo dos blocos, até chegar no platô da via Costas Quentes, de onde se toca pro cume pela mesma.

Os lances feitos em artificial deverão ser melhor protegidos com grampos, para possibilitar as tentativas em livre desta enfiada.

Os conquistadores ainda não me passaram o croqui, mas em breve o publicarei aqui. Por enquanto posso dizer que as duas primeiras enfiadas são em torno de IV grau, depois tem alguns lances de sétimo e entra no artificial, que em livre deve ser nono grau (?), depois faz uma ghorizontal pra esquerda, por baixo dos plocos e encontra com a Costas Quentes (assim foi feito na conquista), é possível tocar reto pela Primeiro Dia(..) levando algumas peças móveis.

Primeira enfiada

Terceira enfiada

Chegada ao cume

explorando o outro cume (galera no cume da rei das coxinhas no canto sup. esquerdo)

O traçado preto é a linha aproximada da via. Está tracejada pois fica do outro lado o t´ptem, não da pra ver nessa imagem.


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Novo projeto na Serra da Prata

Traçado aproximado do projeto DAL E AS CASCAVÉIS

Neste fim de semana saímos de Recife rumo à Brejo pra começar uma conquista na Serra da Prata, local que até então só possuia um projeto com algumas chapas iniciado a vários anos.

Saímos pra pedra sábado antes das 6h, chagando nas casas próximas da base da pedra, conhecemos o Dau (ou Dao, ou Dal...), morador da região que nos deu uma grande força na abrtura da trilha, fazebdo com que chegássemos na base da pedra às 7h40min.

Dago pegou a ponta da corda e conquistou os primeiros 60m, em lances de 3° e 4° grau de aderência e pequenas agarras (o que continuaria a aperecer mais pra cima), e fixou a primeira base, eu subi em seguida e parti pra conquista da próxima enfiada enquanto Heraldo e Rodrigo subiam pra parada.

A segunda enfiada mostrava o que viria pela frente, pedra podre e sem muitas agarras, cheguei nos 30m e puxei o Dago, daí continuei tocando pra cima na enfiada que é o crux da via (até o momento): pedra suja e com raras agarras (leia-se pequeninos regletes), veneno, passei em artifical, intercalando dois furos de cliff com um grampo e dando uns lances em livre quando possível, bati meu ultimo grampo, pois a bateria acabou (depois que usa a furadeira ninguem mais quer bater grampo na mão..hehe), desci e o dago subiu com a bateria trocada e bateu a parada, no total de 120m. Descemos era quase 13h, o sol estava pegando na pedra desde antes das 9h, muito calor!

No domingo voltamos e chegamos mais cedo na base da via, eu guiei os 60m até P2, Dago guiou a 3ª enfiada e eu guiei a 4ª, que foi conquistada em artificial, consegui livrar ela toda, eu diria que ficou bastante adrenante! Lá em baixo o Heraldo ficou batendo uns grampos intermediários e duplicou uma parada, enquanto isso Dago conquistou mais 30m de diagonal pra esquerda, pra desviar da vegetação e bateu a parada em uma sombra debaixo de uma árvore, eu subi e conquistei os próximos 30m, em rocha mais fácil e um pouco melhor na qualidade, puxei Dago, que ainda mandou mais 30m no mesmo esquema e bateu a P7.

Tinhamos 3 opções agora: uma super diagonal pra esquerda, tocar reto e pegar uma parede de uns 7m verticais e com a rocha com as mesmas características da 3ª enfiada (o que aparentemente seria impossível transpor em livre), ou ainda uma saida pela direita, que foi o que escolhemos, não que será tranquilo, masss...vamos ver no que dá, bati mais um grampo e descemos, com os pés fritando e a pele ardendo do sol. O pior foi rapelar as 7 enfiadas descalço no granito cheio de cristais.

Devem faltar cerca de 60m pro cume, se tudo der certo na próxima investida nós terminaremos mais essa!
É uma escalada bastante técnica e exigente psicológicamente, devido à qualidade da rocha em alguns trechos. O sol fica na cabeça das 8h30 às 15h30 aprox. e a pedra esquenta muito!
A via está protegida com grammpos P de 1/2 polegada e paradas duplas a cada 30m, possibilitando o rapel com uma corda só, mas na hora de guiar dá pra emendar duas enfiadas em certos trechos (1ª e 2ª, 6ª e 7ª).
Pra escalar a via, por enquanto precisa-se de 8 costuras e uma corda de 60m, creio que após concluída o equipo continue o mesmo.
O croqui disponibilizarei quando a via for concluída, pois esqueci de levar a caneta e o papel pra ir anotando...
Quanto ao nome, Dau nos disse que ele e seu irmão mataram 70 cascavéis na região!

Aqui vão algumas fotos:
início da trilha

visual da trilha

chegando na base
Dago no primeiro grampo

Rodrigo na logística

Heraldo protegendo os primeiros lances

Dago na terceira enfiada (o crux)

Cauí e Dago em P5

Último grampo do fim de semana, tão perto do cume...