sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Neste domingo cumpra sua obrigação...

...inscreva-se no IX EENE!!!

Último dia pra pagar só 30 reais e ficar no alojamento exclusivo, ver as palestras, mostra de filmes, receber o guia de escalada, camiseta, concorrer a brindes e escalar tudo quanto é pedra de Brejo!!!!!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Inscreva-se e concorra a brindes - últimos dias

Últimos dias da promoção de inscrição para o IX EENE 2010:

Valor: R$ 30,00
Data limite: 31 de outubro (neste domingo)

Quem se inscrever até essa data concorrerá a um sorteio de brindes EQUINOX!

O valor da inscrição aopós esse período vai aumentar, portanto...CLIQUE AQUI!!


Miguel na Cabeça Dinossauro (projeto)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Mapa Geral - Setores de Escalada em Brejo

Aqui está o mapa de todos os setores de escalada em Brejo da Madre de Deus, pra galera ter uma noção das distâncias e dos locais de cada um:

Os setores de numeros 5, 6, 7 e 8 podem ser acessados a pé, sem problemas.
Os setores 3 e 4 são mais confortavelmente acessados de carro, mas podem também serem visitados a pé.
Nos demais setores o acesso é de carro.

Clique na imagem para ampliá-la

Nova Via: Visual do Gavião (4° V E2) 55m

Neste sábado eu, Miguel e Rafael prtimos pra Brejo da Madre de Deus pra conquistar uma viazinha na Pedra do Gavião além de dar uma escaladinha na Pedra da Bicuda.
Pela manhã ficamos escalando nas Mil Falésias, às 12h a sombra chegou na Pedra do Gavião, então subimos pra conquista.
Começei a primeira enfiada, um grampo, um platô, outro grampo, outro platô, daí mais três grampos em um vertical com agarras boas, uma laca em móvel (ou sem móvel, como foi o caso), finalizando com um grampo na P1.

Primeiro grampo

Terceiro grampo

Miguel se juntando na P1

Miguel e Rafael subiram e o colombiano de Brejo abriu um caminho por entre às árvores secas até a base de uma fenda larga, em seguida entrou na fenda, de uns 10m, colocou 1 friend, laçou 1 raíz seca e podre e finalizou a segunda enfiada com um grampo em cima de um platô (blocos).

Fenda da segunda enfiada

A via acabaria aí se fosse pra cima, pois começaria a vegetação de macambira, cactus e galhos secos, mas vimos uma possibilidade muito interessante pra direita: uma sequência de fendas pequenas que foram transpassadas em móvel (essa parte é muito bonita!), bati mais três grampos, sendo que na última martelada do último grampo o martelo quebrou! Muita sorte!! hehehe
Travessia em móvel, 3ª enfiada

Petzl (até que durou bastante...)
Aqui vai o croqui:


Existem múltiplas opções para descer da via:

1. Rapelar da P3 pro segundo grampo abaixo, desescalar até P2 e fazer 2 rapéis até o chão.Fizemos essa na conquista.
2. Levar duas cordas de 60m e rapelar da P3 direto pro chão (chegando na base do projeto em artificial). Essa é a mais segura!
3. Rapelar reto da P3 até a P1 do projeto artificial (rapel negativo sem nenhuma proteção intermediária, desça balançando e grude nos grampos de baixo!!) com 1 corda de 60m (não tenho certeza se dá), e de lá pro chão (mais um rapel de 30m).
4. Mais alguma que você puder imaginar.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Sorteio de brindes p/ Inscrições até 31 de outubro!

Quem se inscrever para o IX EENE até o dia 31 de outubro concorrerá a um sorteio de brindes EQUINOX!
O valor da inscrição até a data citada é R$ 30,00.
Como se inscrever? CLIQUE AQUI!

Rafael no projeto "É Lasca!" 7c? móvel ::: foto: Cauí

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

conquista de um novo projeto na Pedra do Cachorro - por enquanto com cerca de 330m - VIIb - E4/5 - A0 no lance dos blocos soltos, pisar no grampo





08/10/2010
Após o planejamento de algumas semanas, e uma impressionante falta de informações, cancelamos a ida uma vez, mas agora vai...consegui o telefone do Bal (proprietário de um dos terrenos que fazem divisa com a pedra), com a Carla, isso foi na sexta dia 08 as 17:00horas, já havia dito ao Heraldo para pegar um ônibus e nos aguardar em Caruaru, para irmos direto a São Caetano – PE, porém após conversa com Bal, que me atendeu super bem, foi muito simpático e recomendou que chegássemos somente no dia seguinte e cedo, pois a noite o local seria perigoso, procurássemos o Jailson morador do local. Lula chegou aqui em Recife, juntamos os equipamentos, conversamos rapidamente para ver se não faltava nada e partimos, chegando em Caruaru pegamos o Heraldo na Rodoviária e lhe demos a triste noticia que iríamos dormir em Brejo, para partir somente na madrugada seguinte para São Caetano, ele um excelente soldado, não reclamou e aceitou o imprevisto, partimos para Brejo, aproveitamos para abastecer o carro, pegar mais duas cordas, duas baterias e mais 40 grampos, e dormir no abrigo gentilmente cedido pela Prefeitura de Brejo - PE; Dormimos apenas após a meia noite.
09/10/2010
Na manhã de sábado, as 4:00 horas, bate o Lula na minha porta, fui até a cozinha e já senti o cheirinho de cuscuz e café, é excelente ter bons parceiros.
Chegando no Lago da onça, em São Caetano, perguntamos por Jailson, chegamos em sua residência e o cara não poderia ter sido mais simpático e prestativo, nos levou até uma casa que poderíamos utilizar como abrigo, seu filho Hugo, se prontificou a nos guiar até a base da pedra, mostrei a linha que eu queria conquistar e ele falou que era entre as bases de outras duas vias, a Ilusão do Sertão, a direita e Number One a esquerda.
Arrumamos os equipamentos e partimos rapidamente, iniciamos a conquista por onde imaginávamos ser um trepa pedra, nos enganamos e tivemos de nos equipar no meio do caminho, Lula achou uma fenda para colocar um móvel bateu mais dois grampos foi até um platô de mato, e eu bati um grampo onde estava parado para dar sua segurança, estava iniciada a conquista, esta enfiada ficou um pouco exposta...
Reunimos-nos nesta que era a parada dos 60m, corda esticadinha, assumi a ponta da corda e inicie a conquista até os 90m, tentei me aproximar do diedro, porém não foi um bom negocio e continuei rumado para cima sem utilizá-lo, cheguei até um buraco e fiz a parada dos 90m, puxei as mochilas e nos reunimos, deixamos tudo encordado.
Lula assumiu a ponta da corda, partiu para a esquerda, em lances técnicos e estranhos, duplicando uma parada nos 120m, nos reunimos novamente, ao chegar na parada Lula me diz: - é, as agarras sumiram um pouco, mas toca ai para a esquerda para ver o que é que dá...
Beleza, toquei os lances um pouco técnicos, alternando com buracos bons, e fiz a parada dos 150m, deixamos tudo encordado, dos 60m até aqui, ficou um pouco mais protegido que o inicio, chegamos na base já era escuro, Hugo nosso fiel guia da trilha estava lá nos esperando cabra bom! Tomamos um banho no lago, comemos uma lentilha e as 21:00 horas estávamos na cama.
Dia 10/10/2010
Resolvemos acordar mais tarde neste dia, para descansar um pouco e aproveitar a sombra, que só inicia após o meio dia nos trechos que tem buracos e diedros, tomamos um café reforçado, fomos ao lago da onça tomar um banho e fazer umas fotos, retornamos ao abrigo, comemos um macarrão e partimos para a pedra as 12:00hs, Hugo, nosso guia estava lá de prontidão, chegando na pedra, tivemos de jumarear, prussicar e acender com o ropeman, cada um se virou com o equipamento que tinha. Chegamos um pouco tarde no local que havíamos parado no dia anterior, acho que erramos na estratégia, mas tudo bem, Lula assumiu a ponta da corda e iniciou a conquista tocando numa diagonal para a esquerda, se enfiando em uma canelura, com bastante suja, mas muito vertical, um luxo, com agarras, buracos, possibilidade de diedrar, alguns lances na casa dos VII grau, Lula fez uma parada no meio e me puxou, decidimos que seria mais proveitoso o pouco tempo de luz que nos restava se ele continuasse conquistando, a coisa complicou um pouco, no final tem uma barriguinha, depois desta lances muito técnicos, a luz acabou e conquistamos 45m neste dia chegando aos 195m, vou te falar que o Lula mandou muito bem, chegamos na base as 19:00 horas, Hugo estava lá, sobre o pé de caju nos aguardando, tomamos um banho no lago e jantamos, decidimos que no dia seguinte sairíamos cedo, para render mais, avaliamos que nossas condições físicas já estavam precárias e não agüentaríamos um quarto dia de dureza...
11/10/2010

Acordamos as 5:00 horas, chegamos na base as 7:00 horas, neste dia vi que Deus estava do nosso lado, pois parecia que o dia iria alternar nublado e sol causticante, Lula jumareou na frente, eu cedi um ropeman ao Heraldo, subi com o gri-gri e o outro ropeman, levando uma pesada mochila, sofri muito e cheguei nos 180m exausto, Lula duplicou a parada e eu tinha a responsabilidade de iniciar a conquista neste dia, respirei fundo, rezei baixinho um pouco e parti para cima. Bati dois grampos em um lance bem delicado e técnico, de VI, outro lance estranho para a esquerda, cheguei no inicio de uma racha, que batizamos de vagina, desde o dia que visualizamos a pedra pela primeira vez, queríamos passar ali por dentro, estiquei alguns metros, até a base de um bloco do tamanho de um carro em pé, ficou bem exposto, fiz mais um lance tesourando com o bloco e a parede, bati outro grampo, subi utilizando a técnica de chaminé mais alguns metros, a queda seria fator 2, bati outro grampo, visualizei que o sobre o bloco grande, existe outro do tamanho de uma geladeira, vacilei em subir sobre o mesmo, e resolvi bater a parada ali mesmo, como só tinha esticado menos de 30m, resolvi tentar subir, bati no bloco de cima e ele vibrou, fiz mais uma tentativa e minhas pernas começaram a tremer, bati um grampo e desci até a parada menos de 2m abaixo, expliquei a situação ao Lula, e decidimos que ele reuniria comigo, e Babau ficaria mais abaixo, protegido em caso de a rocha menor despencar, assim que Lula chegou parti para cima, hora chaminé, hora tesoura, subi uns 15m, cansei com tanto calor, sujeira e pressão psicológica, abandonei os equipos de conquista no ultimo grampo, solicitei que fosse descido até a parada, Lula subiu e continuou a conquista daqueles lances escrotos, foi subindo, batendo poucos grampos, cerca de 2 acho, fez a virada, e bateu um grampo, outro E3, a partir daí começou a puxar corda e não parou mais, pensei que estava fácil, mas depois repetindo o lance, vi que se tratava de um lance de V, meio delicado, e muito exposto E4 talvez E5, considere o segundo para garantir, esticou novamente a corda, mais 15m, bateu a parada e me chamou, dividimos o peso, eu e Babau, subimos, não foi fácil aquela altura, sol quente e cansaço acumulado, ali era a parada de 300m, peguei a ponta da corda disposto a esticar 30m, pois não agüentava mais, porém os lances eram de agarrêcia, mais aderência do que agarra, cerca de VI grau alguns lances, foram Necessários 5 grampos para esticar 30m, no ultimo quebrou a única broca de 12mm boa que tínhamos, mesmo assim não queria desistir, achava que poderia esticar pelo menos mais 30m e bater um grampo com a broca ruim, novamente a visão e a instiga me enganaram, tratava-se de agarrência de VI grau, devo ter subido uns 6m, bati um grampo e me rendi, era hora de descer, abortar a conclusão da conquista, estávamos a 340m, faltava pouco, quase chorei, conversei com Lula, que achou correto e mais inteligente descer e já ir tirando os equipamentos da via, minha lanterna tinha falhado na noite anterior, estávamos sem brocas, e muito exaustos, acreditem, não foi fácil conquistar esses 340m, a via é muito exigente. Bem, decisão tomada, iniciamos a descida, rapelei os primeiros 60m, Babau desceu, Lula em seguida, falamos para o Babau fazer o segundo rapel na frente, Babau foi, e levou as lanternas, kkk, puxamos as cordas e as fdp enroscaram, nos olhamos e Lula falou, é vamos ter de escalar, fiquei quieto, ele colocou a sapara e partiu, tomou uma queda assustadora, no meio da vagina, fiquei branco, mas nada demais, após resolver este problema, Lula desceu primeiro, e eu fiquei no breu, tive de rapelar sem lanterna, incluía neste pacote a diagonal antes do vertical da canalura, lá fui eu, ouvindo as vozes de Lula e Babau, e tateando no escuro, fomos recolhendo as cordas, que no total eram seis, cheguei primeiro na base, calculei o peso de minha mochila, mais de 20kg, meus parceiros não estavam em situação diferente, Hugo, já estava na base nos aguardando, menino de ouro este. Ajeitamos as cargas, e fomos descendo com cuidado, no inicio da trilha de descida é um ângulo de 45 graus com pedras soldas, tivemos de progredir devagar, após 35min mais ou menos, solicitei uma parada, ninguém foi contra, deitamos de barriga para cima sobre a rocha quente, e vislumbramos um céu muito estrelado, ai pensei “é por isso que eu escalo”, agradeci mais uma vez a Deus e convidei a galera a continuar a trilha, mais 20 minutos e estávamos no abrigo, recompensamos Hugo da melhor forma possível para nossas condições, todos os escaladores que freqüentarem o local deveriam fazer o mesmo, não tínhamos mais água, fomos comprar outro galão de 20 litros em São Caetano, na volta paramos para nos banhar no lago da onça, nem todos encararam, pois estava bem frio, retornamos ao abrigo, pudemos fazer a janta e avaliar nosso feito, podíamos ficar satisfeitos com nosso desempenho!!!!

Agradecimentos:
Hugo, Jailson, Bal, Alex Guardiola, Prefeitura Municipal de Brejo da Madre de Deus, Equinox, Carla, Nequinho, Mirthes, Clovis, Caui, Geyson, Beth Mas, Sávio, Sandra Pasqualon, Candice, Povo das proximidades do lago da Onça, alguns nos deram feijão e gerimum, Guaraci e a todos que de uma forma ou de outra nos ajudaram.

Informações importantes:
Ao decidir escalar na Pedra do Cachorro, entrar em contato com os Proprietários dos terrenos próximos: Bal, Nequinho e Guaraci, tem outros mas não conheço. No local não tem água potável, em 03 consumimos 60 litros de água em 03 dias, 03 galões de 20litros, Jailson e Hugo sabem informar onde vende, banho somente no Lago da Onça, caso tenha gaviões na linha da via, não escalar, preserve o meio ambiente!

Dagoberto Ivan Vieira

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

High Line - Pedra da Bicuda: SlacklineBrasil

Só pra lembrar aos mais esquecidos:

Em janeiro deste ano eu (Cauí) e Negavá, vulgo Guilherme (GO) montamos a primeira High Line realmente high de Pernambuco, na Pedra da Bicuda!
Acompanhe o vídeo da montagem e das tentativas:



Durante o IX EENE a coisa vai ser mais profissional!!
A galera do Slackline Brasil vai estar responsável pela montagem do circo,
a seguir o vídeo Friends of HighLine e o teaser do documentário Slackline Brasil:





Acompanhem o Blog pelo seguinte endereço: http://slacklinebrasil.blogspot.com/

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Site Oficial

O site oficial do IX Encontro de Escaladores do Nordeste está no ar desde a semana passada,
lá você encontra tudo sobre o evento: ficha de inscrição, programação, oficinas, infra-estrutura, guia de escalada, entre outros.

NÃO DEIXEM DE ACOMPANHAR AS NOTÍCIAS POR AQUI!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Repetição e Manutenção do Diedro dos Grampos Mal Batidos

Em 2007 ou talvez um pouco antes, era conquistada uma das primeiras vias de Brejo da Madre de Deus, o Diedro dos Grampos Mal Batidos, por Bernardo Collares (RJ) e Mariana Candeia (PB).
A via é um grande diedro pra esquerda, bem visível da cidade, toda protegida em móvel, com uma parada no meio e o rapel final de uma árvore "burra leiteira".
Logo após a conquista, os conquistadores autorizaram a colocação de um ou dois grampos no final do diedro, para facilitar o rapel, já que a árvore fica um pouco pra esquerda, meio fora da via. Eis que finalmente a via foi repetida e o serviço feito!
Domingo eu e Luciano resolvemos tentar chegar na base da via (o mato deveria estar foda!), encontramos Pépe, um morador da casa que fica em frente ao diedro, ele, muito gente boa, nos levou até a entrada da trilha e disse que a alguns anos tinha vindo um rapaz e uma moça e entrado lá tb, provavelmente os conquistadores.

Diedro e a casa do Pépe

A trilha estava marcada, com alguns trechos fechados, mas agora já está mais tranquila, quem for escalar pode ajudar a dar uma manutençãozinha tb...
Chegando na base vimos três faixas dágua escorrendo de dentro do diedro, algumas com muito lodo, fazer o que...escalar!!

Início

Guiei a primeira enfiada e Luciano guiou a segunda, batemos um grampo no final da fenda e rapelamos. São dois rapéis, sendo o primeiro com mais de 30m, portanto, leve 2 cordas.

Cauí na primeira enfiada e o lodo!!

Os famosos grampos mal batidos (P1)

Luciano na P1

Luciano na segunda enfiada

Batendo o grampo pro rapel no fim da via
Aproveitei e fiz o croqui da via também. QUE VIA!!
Essa vale muito a pena repetir!! Gasta somente um jogo de friends, se quiser repetir as peças grandes, ajuda.

domingo, 3 de outubro de 2010

Faixa de Gaza - Nova via na Pedra da Bomba

Neste sábado eu (Cauí), Luciano Willadino e Heraldo (Brejo) fomos à Pedra da Bomba pra conquistar uma via que havíamos observado meses atrás.
Encontramos a trilha ainda melhor que da última vez e fomos parar direto na base da via.

início da trilha

Subimos uns 15m de trepa-mato numa fenda grande até um platozão, onde nos encordamos pra começar a chaminé/canaleta que visualizamos.

Cauí/Heraldo/Luciano - no platozão

Luciano foi primeiro, bateu um grampo e alcançou duas canaletas lado-a-lado, em uma delas cabiam friends grandes, o que possibilitou a chegada em um platozinho de onde inicia a segunda canaleta rapidamente. Luciano bateu mais 2 grampos na canaleta/chaminé e então eu subi.

Luciano finalizando o 1° lance

A canaleta era em V, impossibilitando colocações móveis ao menos razoáveis, protegi com mais 4 grampos (esse lance deve ter ficado VI sup) até chegar em outro pequeno platô, bati mais um grampo e consegui escalar mais facilmente pela chaminé, que se tornou paralela a partir daqui. Mais dois grampos pra finalizar a P2 e pucar o Luciano e o Heraldo.
Terminada a parte vertical da via, tinhamos mais uns bons metros de rampas (II c/ III grau) até o cume. Foram então mais 3 grampos nos 90m finais ( 3 enfiadas de 30m) e cume!!

canaleta chaminezada

A via fica na sombra pela manhã, e conquistar os rampões no sol foi quase mais desgastante do que a própria chaminé/canaleta...hehehe
Descansamos na sombra de uma árvore no cume e descemos.
Geral da via

A via tem ao todo 14 grampos de 1/2", sendo 1 apenas pro rapel do platô inicial. A graduação E3 se dá apenas pelos lances de escalaminhada do final, que possuem apenas os grampos da parada, entretanto, a canaleta conta com proteções razoavelmente próximas, aumentando bastante a segurança. Os friend utilizados foram os tamanhos #4 ao 7 da Rockempite + #6 da Wildcountry, oui seja, peças grandes...eh bom levá-las!!

Croqui (clique para ampliar)

Pra chegar à Pedra da Bomba, pegue a BR no sentido Recife, após o trevo entre à esquerda em uma estrada de terra, passa o povoado de Cacimba de Pedro e pegue a estrada à direita p/ Baixinha de lá já se vê a pedra, pegue uma estradinha p/ direita, passe duas porteiras e pare o carro perto de uma casa rosa, a trilha começa atrás da casa e dura pouco mais de 20min.