sexta-feira, 20 de maio de 2016

Pedra do Cruzeiro - Sítio Peladas - Caruaru

Recebi o convite da galera de São Caitano pra visitar a Pedra do Cruzeiro, em Caruaru. Eu já tinha ido em outra oportunidade e escalado a Hang Let, tem o relato aqui no blog. Dessa vez fui conhecer outras vias e ajudar a terminar uma que o pessoal estava conquistando.




Algumas semanas antes, o pessoal foi escalar uma via relativamente antiga que tem por lá, chamada de Via das Moças, salvo engano, e durante a escalada um dos grampos quebrou com a queda de um escalador.

A via segue por uma parte fácil protegida com grampos que segundo disseram, são usados para fixação de cabos de aço de sustentação de postes de energia no chão. Estes são estranhos, mas possuem entre 3/8" e 1/2" e passam certa confiança, existem alguns que estão bem pra fora, mas no geral, bem batidos.







Depois começa a ter grampos de inox que devem ter entre 5/16" e 3/8" de diâmetro, e logo a parede ganha verticalidade, em determinado momento, a parede é bem musguenta e tem uma sequência desses grampos batidos de lado! Aparentemente pensados para ser usados como degrau, além disso, eles estão bem tortos pra baixo.





O escalador após ter costurado o primeiro grampo torto seguiu pro próximo, que não deve ter mais de 1,5m de distância, com a costura na mão pra proteger no próximo, ele caiu, o grampo de baixo, no qual ele estava protegido quebrou, no tarugo, rente à pedra, o escalador se ralou um pouco mas não teve maiores problemas.



Bom, dadas as circunstâncias, colocamos uma chapeleta no lugar do grampo que quebrou e uma mais acima, onde tinha um grampo bem feio, de modo que uma possível queda e mais uma possível quebra de grampo, o escalador não chegue ao platô.

Os pontos de rapel estão bons, mas chegando no cume é melhor descer andando.

Enfim, uma via bem tranquila e bonita até o vertical do final, que é meio nervoso de passar. Não temos absoluta certeza sobre o nome da via, se alguém souber informar, por favor nos diga mais detalhes nos comentários.

Depois fomos pra via que a galera estava conquistando, 60 metros tranquilos e um vertical com um lance bem bonito, depois umas canaletas técnicas pra chegar no cume! A boa é usar uma corda de 70m pra rapelar, pois a última enfiada tem mais de 30 metros.

Abaixo estão os croquis das vias pra quem quiser repetir!


Só Que Não, Hang Let, Diedro dos Estudantes, Desconhecida, Via das Moças




Cadastrei a Pedra do Cruzeiro no 27crags, confira aqui!

O acesso é bem fácil e prático, saindo de recife pela BR-232 são 150km de estrada duplicada. Após Caruaru tem um parque aquático do lado direito, logo depois do parque faça o retorno e entre à direita pra "Pelada", siga em frente que a estrada vai passar na base da pedra, pare o carro ali mesmo, caminhe uns 10 minutos e lá está!


terça-feira, 17 de maio de 2016

Curso Básico de Escalada - 21 e 22 de Maio

Você que frequenta o blog e não teve oportunidade de conhecer de perto a escalada em rocha, aqui vai uma boa notícia:


Haverá uma nova turma do Curso Básico de Escalada em Rocha da Desafio Vertical no próximo fim de semana em Brejo da Madre de Deus/PE, distante 200 km de Recife.

Mais informações AQUI, ou AQUI.

As inscrições estão abertas pelo email: cauivc@gmail.com








sexta-feira, 13 de maio de 2016

Dia das Madres - Nova Via na Pedra do Caboclo - Belo Jardim/PE

Essa bela montanha fica a apenas 30 km de Brejo da Madre de Deus, local mais frequentado do estado, e apresenta um cenário interessante para boas escaladas de aventura, com direito a aproximação mais exigente, sombra, temperatura agradável, chaminés e muito uso de proteção móvel! Conquistamos agora apenas a segunda via que faz cume na montanha, ambas nesse estilo lindo e exigente de escalada.

Pedra do Caboclo

A primeira via foi a Chaminé Belo Jardim, cujo relato está aqui, a segunda, relato a seguir.

No final de semana passado saímos Miguel e eu de Recife, rodamos 200 km de boas estradas até Belo Jardim, cidade no agreste do estado, onde encontramos o escalador local Bruno Santos, de lá subimos para a Pedra do Caboclo, situada no distrito de Serra dos Ventos, município de Belo Jardim, Pernambuco.

Andamos por mais de uma hora e meia até chegar na base da via que havíamos iniciado no começo do ano, na ocasião foram dois dias de investidas com muita chuva e pouco progresso (apenas uma enfiada), o vídeo está aqui. Nos equipamos e guiei a parte que já estava pronta, muito bom escalar sem furadeira. 

A primeira enfiada segue por dentro de uma grande chaminé, mas são poucos lances em que se usa a técnica de chaminé mesmo, na maior parte se escala pelas agarras, a proteção é mista, friends e chapeletas, existe uma parada dupla no meio, mas a boa é tocar até a última chapa dentro da chaminé.
A partir daí fugimos de um off-width fdescendo de baldinho de 5m nessa chapa (existe um mosquetão abandonado), chegando no início da chaminé ao lado, onde tem uma parada dupla.

 Miguel e Bruno na P2

Puxei Miguel e Bruno e como estava gostando da ideia de escalar sem furadeira, resolvi arriscar subindo leve a próxima enfiada, acho que foi uma boa escolha, pois saiu integralmente em móvel, inclusive a parada. Esta segunda enfiada é muito bonita e talvez a mais exigente da via, a proteção é boa. mas algumas quedas podem ser grandes, existem muitas agarras ao longo da chaminé, que exige umas técnicas bem psicodélicas.

Vegatação

Parei em móvel e a águia chilena veio falar comigo, felizmente ela queria só conversar, não dei muito papo e ela ficou voando em volta só. Acabamos batendo um grampo nessa parada, pois daí pra cima a escalada passa a exigir alguns equipos a mais  como um par de estribos e cliff, então, quem quiser, faz até ali e desce tranquilo.

P2 reforçada

Miguel pegou a ponta da corda e conquistou um bonito lance de VI talvez, protegido com chapas, depois eu toquei uma parte que acabou em uma sequencia de artificial pois havia muito musgo na pedra, cinco grampos e no final um cliff de buraco, sobe no estribo e sai em livre até a parada. Enfiadinha curta, mas bem legal.


Mieguel, depois eu na terceira enfiada

Da P3 tivemos que fazer uma escolha, tocar pela pedra, com muuuuuuita vegetação cobrindo a rocha ou rapelar novamente pra dentro de uma mega-canaleta de mato e assumir de vez o trepa-mato. escolhemos a segunda opção e Miguel tocou, passando por um buraco de mato que lembrou (forçando muito a barra) aqueles túneis de gelo no cume do Cerro Torre, parando em um platô intermediário de onde nos gritou que o cume estava ganho! Quando chegamos vimos que havia mais caminho pra cima e o Bruno seguiu na ponta.

Bruno e eu, início da canaleta

"Eita porra", ouvimos algo parecido dele lá em cima, a canaleta de mato terminava com um blocão entalado e muito musguento pra continuar seguindo tranquilo. Ele nos puxou parado em uma boa árvore e fomos pensar o que fazer.

Bruno nos cliffs!

Subi entre a pedra e uma árvore e com algumas tentativas lacei uma agarra alta com o cliff, tipo filme antigo do Batman, Bruno subiu no estribo, bateu um grampo, depois mais um e conseguiu quase dominar o bloco, um grampo mais no veneno e ele saiu do perrengue! Parada em uma mega árvore e de lá seguimos andando/escalaminhando pro cume! De lá descemos andando, por pouco mais de 30 minutos até o carro!




No estacionamento tem um restaurante que serve um peixe incrível, infelizmente chegamos tarde no sábado e com muita pressa pra ir embora no domingo, perdemos, paciência.

 Chaminé Belo Jardim e Dia das Madres

 Caminhadinha até a base das vias


Dia das Madres - traçado