sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Pedra do Caboclo - Belo Jardim

A Pedra do Caboclo, localizada no município de Belo Jardim ganhou após muitos anos de namoro, sua primeira via de escalada tradicional, e não tem definição melhor pra via do que "tradicional": chaminé + móvel. Por lá havia apenas uma via esportiva, aberta pelos escaladores locais, a qual não tive oportunidade de entrar, mas olhando de longe pareceu bem interessante. Existe também uma bonita trilha de acesso ao cume, que inclusive, usamos pra chegar na base da via, estranho né? Mas é isso mesmo.

A minha primeira ida ao local não teve muito sucesso, fomos em um domingo, com somente um dia disponível e sem muita informação. Tentamos abrir uma trilha reta por baixo pra chegar na base da parede, mas ao meio dia estávamos longe da pedra, o terreno tava complicado e a progressão lenta, abortamos a missão.

Depois conheci o pessoal de lá, um deles, o Bruno, que tinha acabado de fazer o curso básico e conhece bem a região. Ele disse que o melhor caminho seria subir até o cume e depois descer margeando a pedra por uma trilha que eles usavam pra voltar após descer de rapel.

Andamos por quase duas horas até o cume e depois começamos a descer margeando a pedra, mas a "trilha" já não existia mais, então fomos bem devagar rumo ao objetivo: uma enorme chaminé que vai do chão ao cume bem no meio da pedra.

A chaminé, indicada pelo Bruno como a melhor opção pra conquistar rapidamente foi aprovada e uma ótima pedida pra sair por cima!

A chaminé é gigantesca e se divide em duas por uma rocha mais delgada no meio. Comecei pela direita, escalando tranquilo, dominando dois blocões e depois seguindo por uma chaminé bem aberta, no limite das minhas pernas esticadas sem precisar tesourar. E como tava molhado, foi meio tenso. Felizmente deu pra usar muito móvel e gastei só uma chapa nessa enfiada, passando por baixo de um bloco com cuidado pra não derrubar as pedras soltas ao redor e chegando na P1 (fixa).

A segunda enfiada parecia nos chamar pra tocar reto no tótem do meio da chaminé, tentamos, mas vimos que era melhor começar na chaminé e depois passar pro tótem. O lance ficou exposto pois não tem fenda, nem chapa, mas indo com atenção não tem problema. Logo chega-se à uma fenda onde dá pra proteger e dominar um mega-bloco, onde tem uma chapa pra fazer a segunda parada, enfiada curtinha essa.

Da P2 sai escalando pela face da direita, até chegar em outro blocão onde tem uma chapa, dessa chapa a parede fica obstruída pelo mato. O lance é se agarrar nas raízes puxar com delicadeza até alcançar uma arvorezinha mais firme acima e poder dominar o bloco. Montar a parada na árvore e tá feita a terceira enfiada.

A quarta enfiada é uma caminhada num terreno cheio de pedras soltas até chegar na base da próxima chaminé, onde começa a quinta enfiada: chaminé apertada, atravessa pra direita em cima da terra e domina um lance com um bloco entalado.

A P5 é bem indefinida, tem diversas opções meia-boca pra montar a parada, arvorezinha, blocos, etc. escolha a que acha melhor e boa sorte.

A partir daí, o trecho já era conhecido pelo Bruno, pois eles descem pelo que se tornou a sexta enfiada para acessar o início do rapel que existe ao lado. Tem que ir pra direita, subir um pouco e atravessar mais pra direita, sempre chaminezando, e tocar pra cima a escalada torna-se uma trilha e se pode fazer uma segurança de corpo ou laçar a vegetação lá em cima.

Depois é só  caminhar até o belo cume da Pedra do Caboclo! 

O Paulo veio participando, sempre passando os lances sem problemas, mas quando chegamos ao cume e fomos arrumar a mochila pra descer andando ele percebeu que, além das chapeletas extras, bateria da furadeira,garrafa d'água, tênis, etc, ele carregava uma garrafa de suco de uva integral, e a garrafa era de vidro! Ótima ideia pra carregar na mochila ao escalar uma chaminé.

O Bruno e a Jane não puderam subir escalando pois o tempo tava curo e não sabíamos se ia dar certo terminar naquele dia, então eles voltaram andando. Dias depois, Bruno e Rafael repetiram a via, detalhe, sem proteções móveis. Quem quer, faz!

Hoje a trilha está aberta e sinalizada, aqui vai o croqui e algumas fotos pra quem quiser se aventurar pela Pedra do Caboclo, que apresenta possibilidades de deixar o queixo caído de qualquer escalador!

O nome não poderia ser mais simples e mais propício: Chaminé Belo Jardim.

Valeu Bruno pela força, Paulo pela parceria, jane pela Paciência e o brother que emprestou o facão no dia da conquista pela salvação!!
 Croqui

Vista do cume olhando da trilha. 

Início da via 

 Meio da via. (Ruim de foto na via né...)

 Pedra do Caboclo. A via segue pela grande chaminé que corta a pedra bem no meio.

4 comentários:

clube da Matemática disse...

Parabéns aventureiros escaladores! É isso aí, inovar é preciso!

clube da Matemática disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

foi muito massa!!!

Hélton Lima Mota disse...

Caui preciso falar contigo! Helton Mota heltonmota1@gmail.com