quinta-feira, 4 de abril de 2013

Vias Novas + Travessia do Serrote

Em uma sexta-feira bastante proveitosa, eu e Marcus fizemos um bate-volta em Brejo que rendeu uma escaladinha no Diedro dos Grampos Mal Batidos, duas vias conquistadas ali perto e mais uma escaladinha na Travessia do Serrote, em Barra de Farias. Poquíssimas fotos...

Escalamos o Diedro cedinho e aproveitando que estávamos ali já, demos uma investida na linha que fica no andar superior ao D. dosGrampos Mal Batios, o resultado foi uma via impressionante e peculiar! Começa no que se vê na foto abaixo, depois continua por um diedro que vai afinando até sumir, passando por baixo de um grande tero e chegando numa passada onde a parte do "chão" vira apenas uma pequena faixa de pedra, com o "abismo" abaixo, tem que se encolher todo pra passar!

 Cauí no iníci da via "Querida, encolhi as crianças"

 Croqui atualizado - clique para ampliá-lo

De lá seguimos margeando a pedra, varando um pouco de mato até chegar em uma linha que eu tinha visto quando fui escalar a "Substrato Fértil", uma pedra amarelada com uma espécie de diedro e cheio de lacas com cara de que vão cair...

 Cauí começando a Cáctus Cruxicus, passando pelas macambiras

A idéia era passar pelo primeiro teto pela direita e chegar em baixo do segundo tetão, pra olhar de perto uma fendona que tem de fora a fora nele. Mas a podridão das agarras me fez seguir por outro lado, passando o primeiro teto pela esquerda e, depois de brigar muito com um cactus pra tentar ficar em pé no platô e bater o grampo, fiquei todo espetado e fixei a parada no final do vertical mesmo...

 Linha da via

Croqui - Clique para ampliá-lo

Ficou assim!

Depois de descer a piramba no sol, paramos no Vista da Serra pra almoçar, depois descansamos um pouco e fomos com o Junior pra Barra de Farias, onde tem a Travessia do Serrote, conquistada pelo André Ilha (RJ) e pelo Babau (PE). Essa eu tava devendo fazia tempo, é uma via bem divertida que percorre a crista aguda da Pedra Selada, são 100m de escalada e desescalada, passando por algumas arestas, pulando algumas valas entre uma pedra e outra até chegar no rapel do outro lado. São 4 grampos (dois nos "cumes" e dois nas subidas), uma fita velha entalada numa fenda e mais um grampo pro rapel no final.
 
 Junior no cume da Pedra Selada, porém, ainda não no final da via!