terça-feira, 14 de outubro de 2014

Tudo Positivo! 03 novas vias em Brejo

Os últimos posts aqui no blog foram sobre novos picos, vias esportivas, verticais ou negativas, algumas fendinhas, etc.
Agora a história é diferente, a pedra fica mais positiva, os grampos, quando existem, ficam mais distantes, um musguinho aqui, um matinho ali, as agarras diminuem e de vez em quando desaparecem.
Foram abertas recentemente três novas vias em Brejo da Madre de Deus:

DIA SEM INDEPENDÊNCIA - 2° IV E3 D1 210m



No dia 07 de setembro, após o cancelamento das comemorações locais, Silas e Junior começaram a conquista dessa via, que em outras investidas tiveram a ajuda de mais duas escaladoras também de Brejo: Beth e Klecya.
A via se localiza na Serra do Estrago, e inicia um pouco à esquerda do "Rampão". Dá pra ver as duas primeiras chapas da base. O início é o mais complicadinho, mas depois vai ficando bem tranquila. A linha segue por quase 90m e se encontra com o "Rampão", após a enfiada comum, que é na verdade uma caminhada, ela segue agora à direita, ganhando inclinação e fugindo do padrão de proteção de 2 grampos a cada 30m somente na última enfiada, que deve ser IV grau, com algumas agarras na parede um pouco mais "em pé". A via termina antes de uma barreira de avelós que tem daquele lado da Serra do Estrago.
A proteção é feita com chapeletas simples ao longo da via e chapas com malha nas paradas (do jeito que não torce a corda). Tem parada dupla de 30 em 30m no máximo.

 Beth e Junior na conquista - Foto: Silas Brito

MR. COSTÃO - 2° III E3 D1 180m



Esta via foi iniciada por Patricia e Mirthis alguns anos atras, e concluída agora pelo Júlio Mello e pela Patricia.
Mr. Cosão, localizada atrás da escola André Cordeiro, possui três enfiadas de 60m de escalada tranquila e bonita. Chegando na última parada sobe mais uns 50m pela pedra (caminhando) e pega uma trilhinha pra esquerda, que em 5min te leva de volta pra cidade.
A via começa com grampos na primeira enfiada, que é a mais protegida e de maior dificuldade, e depois segue com chapas até o fim, pra rapelar é preciso duas cordas de 60m, mas a boa é descer andando mesmo.

Júlio Melo na conquista - Foto: Silas Brito

Miguelito repetindo a Mr. Costão - Foto: Wilker

VEGETARIANA - 3° IV E5 D1 260m



Depois do "Rampão" e da "Dia sem independência", já quase na beira do mato inicia-se a via Vegetariana, que conquistei no último domingo com ajuda da Michele. São 05 enfiadas de até 70 m, de escalada fácil, porém com pouquíssimas opções de proteção móvel e sem nenhuma opção de proteção fixa. A via segue sempre beirando o mato e sobe de forma independente até a base do topete, onde começa a via "Simbad, o marujo". O rapel é feito pelo Rampão, pois pela via é impossível. 
A primeira enfiada é tranquila, dá pra proteger com um móvel no meio e a parada é feita com duas peças numa laca que não está 100% firme, mas é praticamente em um platô, então dá pra assegurar quem vier participando tranquilo. Depois tem uma caminhadinha arrodeando o mato até chegar à um lugar que dá pra ficar em pé tranquilo, na extrema esquerda, antes do mato. Nessa P2 não tem nada, mas logo no início da terceira enfiada dá pra proteger com um friend pequeno e esticar um pouco até entrar no lance que eu achei mais bonito da via, uma faixa de rocha de pura aderência, com a surpresa de uma fenda na linha da via, mas não se anime, a fenda é cegueta, não cabe nada e só no final que dá pra usar a bordinha dela pra regletar, ou seja, tem q pagar uma aderência com a última/única peça láá em baixo...felizmente a qualidade é ótima e dá pra ir passo-a-passo tranquilo. Depois as agarras melhoram e toca até a P3 numa árvoresinha.
A quarta enfiada, começa desviado do mato que tem acima e buscando um diedro lá na esquerda, protege com um friend #7 (pode ser o #6 também). Daí eu toquei pra direita de novo e desviei do próximo mato, parando em cima dele e fazendo seg de corpo pra Michele. Isso tudo deu muito arrasto e é a única enfiada que faz a corda sofrer com a gosma do avelos. Acho que uma boa solução é dominar o diedro, montando nele, e seguindo por uma faixa de rocha limpa, até o bloco abaixo da P4.
Saindo da P4 é melhor o guia subir solto, pra em caso de queda não levar o broder junto. São 70m até a base do topete sem proteção nenhuma, a não ser que vocês queira se enganar e laçar os galhinhos gosmentos dos aveloses. A escalada é sempre pela pedra, nesse trecho um pouco de musgo aumenta seus problemas, mas dá pra ir, devagar, estudando cada passo, descansando às vezes, até que no final você atravessa um pouco pra esquerda e fica "protegido" pelo crash pad de mato pra fazer o último lance delicado, chegando à P5 à prova de bomba! De lá atravessa pro Rampão e tchau!

P1 

Proteção, ou nem tanto... - Foto: Michele Souza

                                                    P3, pode equalizar com a urtiga se quiser! - Foto: Michele Souza

Nenhum comentário: