quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

A História da Escalada em Brejo - Heraldo Gouveia

Cordel a História da Escalada de Brejo 
Autor: Heraldo Gouveia 
31/10/2013

Primeiro amigo que fiz
Foi Odens da ranger SMS
Eu mostrava o Brejo a ele
Me ensinou a rapelar
Eu curioso que só a gota
Comecei a me destacar
Depois o Panamenho Dario
Para a equipe reforçar
Com ele fiz curso de guia
Para o trabalho aperfeiçoar
O que aprendi com ele
Na vida é 'fundamentá'
Não esqueço do grupo Selva
Quando no Brejo chegou
apresentado pelo mestre Cáli
Neco Meireles e Lúcio Tata Mario Vela
Sapatilha e saco para magnésio
Me patrocinaram de boa
Com o grande Grupo Selva
Começaram os monitoramentos
Conselhos e ensinamentos
A escalada começava crescer
Impulsionado chegou a vez
Das feras o Brejo conhecer
(01)

No Brejo Márcio Bortolusso
A grande Mariana Candeia
Fomos à Pedra da Bicuda
Para um trabalho legal
Em dois dias estava pronta
A primeira via tradicional
O mestre passou a mensagem
Heraldo fica de prontidão
Chega amanhã na cidade
De longe muitas milhas
O grande conquistador
O diretor André Ilha
Partimos para o Sítio Arara
Naquela bela e boa ocasião
Um trabalho duro na trilha
Eu e André, de facão na mão.
Na base ataques de maribondos
Foi essa a recepção
No sábado de carnaval
Conheci Bernardo Colares
Visitou a nossa terra
Mas uma bela via deixou
Foi embora para sempre
Mas seu trabalho realizou
(02)

Grande Bernardo Colares
Nosso eterno presidente
Escalando na Patagônia
Com Kika Bradford boa gente
Na tragédia do Fitz Roy
Nos deixou descontentes
Outro dia por essas bandas
Dele não vou esquecer
Kava Mura e suas loucuras
Grande fenda ele desceu
Grande escalador e malabarista
Que as montanhas conheceu
Depois para nunca mais parar
Cauí, Luciano e Dago
Carlinha, Patrícia e Naná
Trabalhamos que nem doido
As montanhas preparando
Para o encontro realizar
No Dia do encontro
Dez anos de trabalho
Fiquei muito contente
Sonho realizado
Por causa da política
Contar a história fui barrado
(03)

Chamaram o amigo Menger
Escalador de Natal
Para palestrar no evento
Contou uma história bacana
Faltou a história do município
Brejense Pernambucana
Entre muitas histórias
Uma agora eu vou contar
Dagoberto, Heraldo e Lula
Na Pedra do Cachorro lutando
Lá eu quase perco a vida
Mas outra vez escapando
Eu e Cauí a tardinha escalando
Quando ele passou pela pedra
Confeccionando a via 127 horas
Outro livramento o criador deu
Rolou uma grande pedra
Passou perto, mas não bateu
As coisas é de quem tem vez
As coisas é de quem tem voz
Com Eliseu Frechou é assim
Proprietário do Mountain Voices
Contando a história do Brejo
E a de Heraldo para vós
(04)

Um documento importante
Para qualquer dia mostrar
Assinaturas dos escaladores
Que por aqui chegaram a passar
Espero rever todos eles
Um dia nas bandas de cá
Com os dois pés quebrados
Não sei se vou retornar
Pelo menos sou verdadeiro
E tenho que explicar
Amo minha linda terra
Amo também escalar
Abraço a Ralf Cortez
Valeu Ana Alvarenga
Miguel Zorro Colombiano
Dante, 'galera sem arenga'
Escrevi esse cordel
Quero que todos entendam...
São muitos forte bravos
Que ainda vou ressaltar
Tô quase o finalizando
Aos poucos vou lembra
De todas as grandes aventuras
Vividas em nosso lugar
(05)

O Japa Jiro figuraço
Apareceu no pedaço
O Doido Fábio Nunes
Todos nós de aço
Do Brejo para o mundo
Amigos aquele abraço
Muito longe antes
De tudo isso começar
Em 89 no Brejo, a acampar
Eu, Marcinho, Edson e Adriano
Brincando de fotografar
Encantados pelo encanto do lugar
Vi uma geração crescer
Gostando das nossas riquezas
Uns me chamam de mestre
Outros Rei das proezas
Mas o importante mesmo
Meu filho amante da natureza
Para quem se deu bem
Na história graças a Deus
Para contar os relatos
Verdadeiros que são meus
Depois da minha morte
A história será EU.

Nenhum comentário: