segunda-feira, 10 de julho de 2017

Manutenções e Via Nova na Serra do Estrago!

Na última sexta-feira saí com o Marcel de Feira de Santana em direção à Brejo da Madre de Deus, eu fui pra fazer alguns ajustes e trocar proteções, e o Marcel pra escalar o que fosse possível entre um trabalho e outro, e nosso final de semana rendeu bem!

Sexta-feira após cerca de 9 horas de viagem chegamos em Brejo e logo seguimos pra Serra do Estrago, a missão do dia era trocar as proteções iniciais das vias Face Oculta e Vídia Bandida, ambas abertas com chapeletas de inox e parabolt de aço carbono, o que acelerou a corrosão dos parabolts, que já estavam mais pra lá do que pra cá. A manutenção foi concluída com sucesso entre uma ou outra nuvem de chuva de mentirinha.






Sábado fomos pra Pedra da Bicuda, chegando lá fizemos alguns ajustes na via Anfetamina (VIIc), trocamos todas as chapeletas, que apresentavam o mesmo problema das vias do dia anterior, além de adicionar uma proteção no lance inicial, que era feito saindo de cima de um galho, que não existe mais, o que deixava a primeira chapa bem acima do padrão do setor.

Em seguida escalamos a via "Costas Quentes", depois umas entradas na Andróide nº6 e finalizamos o dia com o Marcel escalando a "Sócaldinho" debaixo de chuva, pra não deixar a via equipada e ter que voltar no dia seguinte.




Porquê domingo é dia de conquista! Só tínhamos a parte da manhã pra escalar, pois a volta pra casa seria longa, então acordamos cedo e seguimos pra Serra do Estrago novamente. Lá continuamos a conquista iniciada meses antes pelo Junior e pelo Higor, na qual eu bati alguns grampos até alcançar 40m. Dessa vez estávamos com todo equipo necessário e conquistamos mais 70 metros, até que a via se une à Piolho de Cobra.


Teve um lance que deve ficar na casa do sétimo grau, com três chapas, logo nos primeiros metros de conquista do dia. Depois alguns lances tranquilos até a P2. Saindo da P2 um pequeno diedro onde cabem perfeitamente os camalots #1 e 2, mais duas chapas e a parede perde inclinação, onde a via se junta com a Piolho de Cobra. resolvemos parar por aí, pois não vimos necessidade em seguir uma linha independente, pois ficaria muito próximo às outras na parte final da parede, que é menos extensa que a base.
Laranja: Bode gaiato, Azul: Piolho de Cobra



Descemos e pegamos a estrada de volta pra casa, onde chegamos após mais de 9h dirigindo, tempo de sobra pra decidir que a via se chamaria Bode Gaiato.

Nenhum comentário: